Daniele Hypolito é apresentada no Fla


Feliz com o retorno ao clube do coração, ginasta revela que desistiu de se aposentar após as Olimpíadas do Rio. Atleta prepara coreografia com música da cantora Anitta

Daniele Hypolito segue na ginástica artística por pelo menos mais dois anos. A revelação foi feita pela própria atleta nesta quarta-feira em sua apresentação no Flamengo, no ginásio Cláudio Coutinho, na Gávea. A ideia inicial da ginasta era se aposentar após as Olimpíadas do Rio, mas os apelos dos fãs para que prosseguisse na carreira somado ao bom desempenho nas últimas competições fez Daniele repensar sua decisão. Aos 31 anos - ela completa 32 em setembro -, a atleta se prepara para a sua quinta Olimpíada. Após três anos longe da Gávea, ela está de volta ao clube que a revelou.


- O coração rubro-negro falou muito alto na hora de voltar. Me sinto em casa aqui. Aproveito para dizer que esse ano não será mais a minha despedida. Pensei muito, tive pedidos de fãs e amigos e avaliei que seria uma pena parar agora, pois estou em um bom momento mesmo com 31 anos de idade. Sigo na ginástica por pelo menos mais dois anos. E se eu estiver bem, posso até pensar em completar mais um ciclo olímpico - afirmou Daniele.

A ginasta deixou o Flamengo no início de 2013 logo no início do primeiro mandato de Eduardo Bandeira de Mello. Naquele momento, o intuito da diretoria era promover alguns cortes no clube para tornar os esportes olímpicos sustentáveis. Com isso, o Rubro-negro dispensou sua equipe adulta de ginástica. Além de Daniele, a lista de dispensados tinha o seu irmão Diego Hypolito e os também selecionáveis Sérgio Sassaki, Petrix Barbosa e Jade Barbosa. Jade voltou ao Flamengo em julho de 2014.


- Hoje é mais um dia de alegria porque estamos recebendo a Dani de volta à casa dela - discursou Bandeira de Mello nesta quarta-feira. - Tivemos que abrir mão dela num momento bem difícil da nossa história, pois era necessário fazer alguns ajustes para tornarmos o Flamengo um clube cidadão. Aos poucos, o nosso esporte olímpico vai se tornando autossuficiente e nós temos aqui a base da seleção brasileira de ginástica - completou.


Presente à apresentação, o vice-presidente de esportes olímpicos Alexandre Póvoa fez coro ao discurso do mandatário rubro-negro. Segundo o dirigente, foi preciso dar um passo atrás para dar dois passos à frente.


- Como o presidente falou, tivemos que tomar atitudes para chegarmos hoje de uma forma estruturada. Temos uma luta constante para manter o clube em dia e autossuficiente. Quando falamos em dar um passo atrás em 2013, era pra chegarmos a esse momento de agora - destacou Póvoa, lembrando ainda da recuperação do ginásio Cláudio Coutinho, destruído parcialmente em um incêndio no fim de 2012.


O retorno de Daniele Hypolito completa a gradual reestruturação da equipe rubro-negra de ginástica, que agora conta com quatro das cinco atletas que vão representar o Brasil na Olimpíada do Rio - além de Dani, Rebeca Andrade, Jade Barbosa e Flávia Saraiva defendem o Fla e apenas Lorrane dos Santos é do Cegin.


Desde janeiro, Daniele estava sem clube. Ela deixou o Cegin, de Curitiba, onde treinava desde que deixou o Flamengo, para retornar ao Rio e se preparar para a Olimpíada no Centro de Treinamento do Time Brasil, sob o comando do técnico Alexandre Carvalho, também responsável por Flavinha. A ginasta se mostrou consistente tanto no evento-teste de abril como na etapa de São Paulo, garantindo espaço na equipe brasileira para disputar sua quinta Olimpíada, quando pretende apresentar-se com uma coreografia que mistura duas músicas de funk da cantora Anitta.

Destaque
Posts Recentes
Procurar por tags
DESTAQUES

1/1