Seleção feminina de ginástica artística garante vaga na final


RIO - A nova geração da ginástica feminina mostrou a que veio na Arena Olímpica Rio, e levou o Brasil, com um quinto lugar, para a final por equipes, o espaço mais nobre da modalidade. As estreantes Flávia Saraiva e Rebeca Andrade, que também vão disputar as provas individuais, mostraram maturidade e assumiram sem medo os papéis de protagonistas ocupados até Londres-2012 por Daiane dos Santos, hoje aposentada, e Daniele Hypolito, ainda na seleção.


Rebeca, que chegou a liderar a classificação geral antes de as americanas se apresentarem, passou bem por todos os aparelhos e vai em busca de uma medalha no individual geral. Já Flavinha, como é carinhosamente chamada pelas companheiras, vai disputar a decisão no individual geral e na trave. A apresentação sobre a trave, aliás, arrancou muitos aplausos do público e a nota 15.133 dos juízes. É a candidatura mais sólida do Brasil pela medalha.


— Eu não quero colocar muita expectativa (em torno da chance de pódio), porque estou tentando fazer o meu melhor. Se Deus quiser, e eu conseguir uma medalha, vai ser uma alegria muito grande — disse Flávia.


Rebeca poderia ainda buscar a classificação para a etapa decisiva do salto, já que alcançou uma nota alta em sua primeira tentativa (15.566). A comissão técnica, no entanto, preferiu poupar a ginasta de um segundo movimento — que valeria para a disputa do aparelho —, em função de uma cirurgia no joelho, feita há um ano. O índice, portanto, foi válido apenas para a disputa geral e para ajudar a equipe.


— Meus treinadores sempre acreditaram que, um dia, em uma Olimpíada, eu poderia ir para a final do individual geral. Agora me dá vontade de sempre querer mais — afirmou Rebeca.


Daniele Hypolito, em sua quinta e última Olimpíada, escorregou, caiu no chão, e se despediu da possibilidade de uma final no solo. Ao som de Anitta, a veterana do grupo sofreu uma queda e pisou fora da área. Diante da câmera, ela pediu desculpas à Arena Olímpica — “uma forma de carinho com o público”, explicou depois —, foi aplaudida e saiu da área de competição com a sensação de dever cumprido. Depois, em entrevista a um repórter, reclamou: "Você só fala da queda, não fala do cavalo (aparelho)", disse, relatando o bom desempenho que teve.


— É a finalização de um ciclo. A gente veio batalhando muito para esse momento. Agora é aguardar o próximo grupo e vir com tudo para a final por equipes. Eu tenho certeza que a gente vem bem forte — disse, algumas horas antes de a vaga da equipe ser confirmada.


Hora antes, a ginástica artística do Brasil já se aproximava de uma vaga na final por equipes no feminino. Com 174,054 pontos conquistados, o time formado por Flávia Saraiva, Rebeca Andrade, Jade Barbosa, Daniele Hypolito e Lorrane dos Santos havia chegado à quarta colocação após três das cinco subdivisões.

Pela ordem, EUA, China, Rússia, Grã-Bretanha, Alemanha, Brasil, Japão e Holanda passaram para a decisão.


Matéria original: Jornal O Globo - http://oglobo.globo.com/esportes/selecao-feminina-de-ginastica-artistica-garante-vaga-na-final-19874372



Destaque
Posts Recentes
Procurar por tags
DESTAQUES

1/1